J'ai lu: O teorema Katherine (John Green)

"É possível amar muito alguém. Mas o tamanho do seu amor por uma pessoa nunca vai ser páreo para o tamanho da saudade que você vai sentir dela." - pág.141


  Queridos leitores, eu amei esse livro!
  Ele se tornou, de cara, o meu livro preferido de John Green, porque ele explora um imaginário que, antes, eu só tinha ouvido falar em tom de comédia, literariamente falando: estatisticamente.
  Esse "palavrão", dentro do universo desse livro, é usado para deixar claro que todos nós fazemos parte de algum tipo de estatística, incluindo, e talvez principalmente, quando estamos dentro de um relacionamento.
  O Colin, nosso protagonista, é um prodígio e descobre que o seu maior fracasso é a sua determinação em namorar com meninas que não são só xerox de nome, mas de personalidade também.
  Quando a K-19¹ termina com ele, Colin atinge o fundo do poço. Ele perdeu, segundo ele, o amor da sua vida e, para completar, se deu conta de que ele está fadado a ser só um prodígio e nunca um gênio. E sim, existe diferença.
  É com cuidado que o Colin nota que a maioria dos seus relacionamentos envolvem ele e alguma garota chamada Katherine.
  Nosso protagonista faz parte do lado "baixo" da estatística. Ele afunda toda vez que é abandonado por uma Katherine (e já foram 19 ao todo :O), então ele cria um teorema, com gráficos e tudo, para determinar em que momento o relacionamento vai morrer.
  Eu adorei a proposta do livro e, de cara, simpatizei com todas as personagens. O Hassan, melhor amigo do Colin, é especialmente carismático.
  Para ser bem sincera, acho que foi uma descoberta maravilhosa toda essa sugestão de relacionamentos fracassados, essa ideia de evitar o fim ou reverter o jogo.
  Com mansidão e graça, Colin nos prova que tentar prever o futuro de um relacionamento, mesmo que logicamente, é o mesmo que tentar pegar fumaça com as mãos.
  A escrita de Green é jovial e ambiciosa. Muito criativa, sem dúvida.
  Seu tom é rápido, divertido e prazeroso.
  Eu sei que rola um certo preconceito com esse livro por ele ter trechos matemáticos, mas a verdade é que a matemática é só um detalhe da estória. Digo isso porque eu abomino qualquer coisa que envolva números, sinais e gráficos, mas me senti muito confortável lendo esse livro. A matemática não influencia a trama.
  A resenha de hoje é essa e amanhã vai ter uma explicação bem legal sobre o significado dos elementos da capa desse mesmo livro. Voltem e descubram...
  Com amor, Mallú.
  ¹K-19 é a abreviação que o Colin dá para a sua última namorada.

Comentários